Fotografia: Pelos caminhos da natureza (Through the paths of nature)

2608

2610

DSC01331

DSC01320

Fotos: Chronosfer. A natureza nunca é solitária. Não conhece a solidão. O olhar às vezes cria essa solidão. O olhar é apenas uma passagem pelo universo que a cada dia se renova, se transforma. Nós é quem queremos ensinar à natureza sobre solidão, ser solitária. Nossos olhos são espelhos dos que somos.

Nature is never lonely. He does not know solitude. The look sometimes creates this loneliness. The gaze is only a passage through the universe that is renewed every day, transformed. We are the ones who want to teach nature about solitude, to be solitary. Our eyes are mirrors of who we are.

25 comentários em “Fotografia: Pelos caminhos da natureza (Through the paths of nature)

  1. Especially the lichens symbolize your words, because they are a co-working community from algues, mushrooms and bacteriums, building together forms and solours like one.

    Your pinetree with snow-covered ground reminds me on a place some kilometres from here, I photographed in a winter, too.

    Curtido por 1 pessoa

    1. I like your observations, which complement with talent the small texts that I produce here. nature is always steps ahead of us. the last photo, it is not snow but sand dunes. the effect on w & b passes this illusion. (sorry I have not commented on your posts, the only comment I will answer today is yours.) a strong flu hit me with a fever and everything else it brings. (I wish tomorrow to be well.)

      Curtido por 2 pessoas

    1. uma série em que realmente há elementos de tudo um pouco. ciclos se acabando, mas com o pensamento no que se inicia, a natureza sendo dona do seu próprio espaço – não parece algo do cenário do Senhor dos Anéis? -, os olhares dos cavaleiros, a árvore quase isolada em meio as resistentes dunas de areia. gosto de pensar que elas se juntam e formam uma história. muito obrigado, Angélica. o meu abraço carinhoso.

      Curtido por 2 pessoas

      1. o cenário de Cambará do Sul, na verdade os canyons do Itaimbezinho e Fortaleza possuem essa coisa misteriosa, quase mágica do Senhor dos Anéis. esse banco, parece-me que tem pernas e vai a qualquer momento levantar… fantasia minha sei, mas é verdadeira. um grande abraço.

        Curtir

  2. Na primeira foto, o olhar se entristece ao ver que a vida na natureza é passível de morte; na segunda foto, admirar o banco de certa forma adornado, nos dá a certeza de que a natureza é vida que dá vida; ao observar os cavaleiros na terceira foto, a impressão é de uma troca de olhares; e na quarta foto, a árvore não está sozinha quando a erva rasteira se faz presente e o solo em que são plantados, se torna um companheiro, ambos aos olhares do céu que os contempla. A natureza é completa. Parabéns pelo post meu amigo! A canção é para aprimorar ainda mais o seu trabalho. Um grande abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s