Fotografia: Pelas ruas da cidade (By the streets of the city)

DSC02824 (2)

DSC02819 (2)

DSC02812 (2)

DSC02838 (2)

DSC02861 (2)

DSC02937

Fotos: Chronosfer. A magia das ruas. Ruas repletas de magia. O trabalho. O sonho. A fantasia. A música. A simetria das garrafas. Os reflexos. As ruas ganham vida. As ruas têm vida. E vivemos a vidas ruas. As ruas vivem nossa vida. E nossa magia.

The magic of the streets. Streets full of magic. The work. The dream. Fantasy. The music. The symmetry of the bottles. The reflexes. The streets come alive. The streets have life. And we live the streets streets. The streets live our lives. And our magic.

Fotografia: Outono (Autumn)

DSC05193 (2)

DSC05075 (2)

DSC05023 (2)

Fotos: Chronosfer. Estação da luz, das cores, da transição para o inverno. O preparo para novos ciclos, o fim de outros. Vida se reconstruindo. O outono é um pouco de cada um e nossos sonhos.

Station of light, colors, transition to winter. The preparation for new cycles, the end of others. Life rebuilding. Autumn is a little of each and our dreams.

Fotografia: Cores, simetrias e grafismos do dia a dia (Colors, symmetries and day by day graphics)

DSC02929 (2)

DSC02920-001 (2)

DSC02955 (2)

DSC02899-001 (2)

Fotos: Chronosfer. La Boca, Buenos Aires. Marcas. Do tempo e nossas. Cores. Do tempo e nossas. Simetrias e grafismos nossos. Vida. Nossa. E do tempo.

La Boca, Buenos Aires. Brands. From time to ours. Colors. From time to ours. Symmetries and graphs of ours. Life. Our. And time.

Fotografia: Uma manhã na vida (A morning in life)

DSC02810 (2)

DSC02815 (2)

DSC02839 (2)

DSC02843 (2)

DSC02847 (2)

Fotos: Chronosfer. Feria de San Telmo, Buenos Aires. Uma manhã pode ser uma vida inteira. Por ser as águas dos rios encontrando o mar. Pode ser o passado presente em nossos olhos. Uma manhã em San Telmo é renovar o tempo. Compreender o que foi e acolher o que é. Uma manhã na vida tem muito sentido. E mais ainda significado. As manhãs sempre nos despertam para o viver.

Feria de San Telmo, Buenos Aires. A morning can be a lifetime. For being the waters of the rivers meeting the sea. It may be the past present in our eyes. One morning in San Telmo is to renew the weather. Understand what was and welcome what is. One morning in life makes a lot of sense. And even more meaning. Mornings always wake us up to live it.

Fotografia: Na água dos meus olhos, a esperança (In the water of my eyes, hope)

IMG_8869 (2)

IMG_8891 (2)

IMG_8909 (2)

IMG_8912 (2)

Fotos: Chronosfer. Para todos os que acreditam em um mundo melhor, em que a utopia possa ser realidade, a violência passado, e o sonho torne a frequentar nossos olhos. Para o voo ser livre como a vida e a palavra igualdade.

For all those who believe in a better world, in which utopia can be a reality, past violence, and a dream come back to our eyes. For the flight to be free as life and the word equality.

 

Fotografia: Apenas o céu (Only the sky)

IMG_3428 (3)

IMG_5142 (2)

IMG_5344 (2)

Fotos: Chronosfer. O olhar nunca é o mesmo. A procura pode ser. O céu nunca é igual a um único segundo após o olhar. O sentido do olhar é a constante mutação dos matizes celestes. O céu é o leito das águas dos meus olhos. Assim como a vida é o infinito.

The look is never the same. Demand can be. The sky is never equal to a single second after the look. The sense of the gaze is the constant mutation of the celestial hues. The sky is the bed of the waters of my eyes. Just as life is the infinite.

 

Fotografia: Olhar pelo caminho de cada dia (Look at the path each day)

Estação Ferroviária de Rio Branco. Uruguay. Foto: Fernando Rozano

IMG_3078

DSC03705

Fotos: Chronosfer. Às vezes, o olhar encontra a solidão. Está na porta aberta de uma estação de trem vazia. No solitário torcedor em um estádio de futebol. Ou nas folhas de outono em sua cores vibrantes já anunciando o fim do seu ciclo. É nessa solidão que a vida se renova. De fora para dentro. E o olhar, segue seu caminho. A cada dia.

Sometimes the look finds solitude. It’s in the open door of an empty train station. In the lonely supporter in a football stadium. Or in the autumn leaves in their vibrant colors already heralding the end of their cycle. It is in this loneliness that life is renewed. From the outside in. And the look, it goes its way. Each day.

Fotografia: A vida vivendo o seu viver (Life living your live)

IMG_6988 (3)

IMG_7011 (2)

IMG_6910 (2)

Fotos: Chronosfer. O simples caminhar pelas cidade e a vida a vida vivendo o seu viver. Os olhos são testemunhas. E vive em harmonia com seus viveres. Viver é ser vida dentro da vida.

The simple walk through the city and life to life living your life. The eyes are witnesses. And lives in harmony with their living. To live is to be life within life.

Fotografia: Buenos Aires em meus olhos (Buenos Aires in my eyes)

DSC01502 (3)-001

DSC01504 (3)-001

DPSCamera_0075_1 (2)

DPSCamera_0019 (2)-001

DPSCamera_0042_1 (4)

DSC01590 (2)

Fotos: Chronosfer. Buenos Aires. Respira em La Boca cores, cultura, povo, vida, água, tango. os ciclos do tempo têm sentido, significado em cada esquina, em cada passo, em cada casa, em cada luminária. O centro, San Telmo, Puerto Madero, Recoleta,  tantos lugares em apenas um único lugar. A vida se expressa em compassos levados por cada um de nós. Acordes às vezes desafinados, mas viver também é desafinar o passo. Hoje, dia em que a vida celebra ciclos, um no infinito, outro ainda no finito, o olhar sobre a cidade é olhar de quem segue passo a passo o destino e o viver.

Buenos Aires. Breathe in La Boca colors, culture, people, life, water, tango. the cycles of time have meaning, meaning in every corner, every step, every house, every lamp. The center, San Telmo, Puerto Madero, Recoleta, so many places in only one place. Life is expressed in bars taken by each one of us. Chords that are sometimes out of tune, but to live is to skip the step. Today, when life celebrates cycles, one in the infinite, the other still in the finite, the look on the city is a look of those who follow step by step fate and live.