Fotografia: Saudade do cotidiano (Longing for everyday life)

Há muito os dias são como folhas de um calendário guardado em alguma gaveta. Às vezes, esquecido, está sempre no mesmo dia, no mesmo mês, no mesmo ano. Abrir a gaveta é como abrir a porta e sair pelas ruas. Olhar o movimento, viver o movimento. Descobrir entre janelas, portas, sacadas o quanto a vida se mostra em pequenos detalhes. E neles habita a saudade de estar dentro do cotidiano. Saudade de mim mesmo dentro do meu movimento do lado de fora.

For a long time days are like sheets of a calendar stored in some drawer. Sometimes, forgotten, it is always on the same day, in the same month, in the same year. Opening the drawer is like opening the door and walking out on the streets. Look at the movement, live the movement. Find out between windows, doors, balconies how much life shows in small details. And in them dwells the longing to be within everyday life. I miss myself inside my movement from the outside.

Durante mucho tiempo los días son como hojas de un calendario almacenadas en algún cajón. A veces, olvidado, es siempre en el mismo día, en el mismo mes, en el mismo año. Abrir el cajón es como abrir la puerta y salir por las calles. Mira el movimiento, vive el movimiento. Averiguar entre ventanas, puertas, balcones cuánto muestra la vida en pequeños detalles. Y en ellos habita el anhelo de estar dentro de la vida cotidiana. Me extraño dentro de mi movimiento desde afuera.

Foto: Chronosfer.

42 comentários em “Fotografia: Saudade do cotidiano (Longing for everyday life)

      1. Eu que agradeço, Marcello. Tenho presente um post antigo em que havia uma foto de uma Casa do Poeta bem simples, pequena e foi nela que teus olhos e palavras se ergueram. Nunca esqueci e tenho como um exemplo. Vai outro abraço fraterno.

        Curtir

    1. Oi Léo, pois é, tenho um período de confinamento acumulado – ano passado depois da cirurgia e colocação de cateter mais o início da quimioterapia fizeram com que eu ficasse longo tempo sem sair, apenas para consulta, exames e medicação, e qdo chega o momento de realmente sair a pandemia também chega. Na verdade, um post até angustiado por tudo o que está acontecendo. Vai passar! Muito obrigado e enquanto isso muita literatura(estou relendo Madame Bovary), muita música e janela. Claro, caminhadas dentro do apartamento. Enfim, vivendo o possível e dele fazendo o impossível. Um abraço imenso e carinhoso.

      Curtido por 1 pessoa

  1. Meu queridíssimo amigo do sul, Fernando Rozano de Poá… isto que chamo de uma bela sacada! A composição inteira é uma bela sacada! Ouve-se muito o termo “NOVO NORMAL” mas acredito que “NOVO COTIDIANO” cairia melhor e lógico que a saudade de nós dentro do movimento do lado de fora bate forte. Mas acredito que coexista um movimento maior agora dentro de nós mesmos. Como cantaria um certo cantor maneiro mineiro: “… Sabe o que eu mais quero agora, meu amor? Morar no interior do meu interior”. Enfim… logo logo estaremos olhando e vivendo o movimento dentro e fora do nosso interior simultaneamente! Assim eu espero, assim eu acredito, assim eu… cálice cálice cálice Você me deixa loucooooo (não se cale) kkkkkkkkkk. Ainda vamos viver muito para uma aglomeração poética meu caro… pode esperar! Um grande e forte abraço

    Curtir

    1. meu querido amigo…pois estou chegando a conclusão de que não haverá novo normal, novo cotidiano…o que vai mudar é que deveremos conviver, mesmo com vacina, com o vírus para sempre. e tudo continuará com antes. vontade mesmo de seguir os passos do cantor mineiro, morar no interior…mais paz, mais calma, mais tudo…quem sabe? mas a nossa aglomeração está assegurada, eu chego com o café! meu infinito abraço de muito paz e harmonia.

      Curtido por 1 pessoa

  2. “Descobrir entre janelas, portas, sacadas o quanto a vida se mostra em pequenos detalhes. E neles habita a saudade de estar dentro do cotidiano. Saudade de mim mesmo dentro do meu movimento do lado de fora.” Tuas palavras não poderiam ser mais fidedignas do que se passa também “aqui dentro”, querido. Abraço desde SP, virtual, como (quase) tudo ultimamente 🌺😘 (E uma nota: vai passar. Vai passar.)

    Curtir

    1. Esses dias têm tirado muito mas também nos oferecido tanto, por exemplo, pensarmos melhor sobre nós mesmos e nossas ações junto ao coletivo social, o que realmente estamos fazendo para fazer e construir uma vida melhor para muitos de maneira concreta e permanente. Tenho pensado muito nisso e em como fazer. Isso, claro, não exclui a saudade do cotidiano, o mesmo que precisa de nós como nós dele. Muito obrigado, querida Gabriela, fico muito feliz com tua presença e palavras que aportam neste pequeno cais. 🌷🌻✨

      Curtido por 1 pessoa

      1. Sim, outro dia mesmo estava comentando que o lado positivo dessa quarentena tem sido a evolução espiritual que ela tem proporcionado. Acho que aprendemos muito em tempos como esse e reavaliamos nossa própria postura e atitudes em relação a nós mesmos e ao mundo. É tudo muito triste, mas acredito que está nos fazendo seres humanos mais fortes e melhores!
        Eu que agradeço, Fernando! Seguimos tentando, não é mesmo?
        Abraço 🌸

        Curtir

    1. Oi Brian, como você está? Cuidando-se bem? Por aqui, no sul do Brasil, a situação é severa, e muitos não estão suportando em especial a questão econômica. Estamos mal gerenciados quanto ao combate a doença e com isso a economia parou e o desemprego e fechamento de muitas atividades econômicas está fazendo com que o confinamento seja quase um fracasso. Junta isso em um país onde a desigualdade social é imensa e a tragédia está se tornando realidade. Desejo muito que tudo passe e pelo menos haja mais equilíbrio social. Estou bem, fiz exames de controle e o resultado foi negativo para câncer e como tantos com saudade de sair. Seguimos meu querido amigo. Um grande abraço.

      Curtido por 1 pessoa

      1. O mesmo acontece aquí. Desigualdade, desemprego, a gente nao tem pra comer dois días sem trabalho… E a “Gerencia” mundial é ruin… Abraço forte.
        (E um abraço mais pra os resultados do câncer…) 👍🏻🙏🏻

        Curtir

    1. Um lugar especial, bom para o café, e ao lado direito está o mercado público. Não é o mar que tanta falta me faz, mas é uma usina de história. Este disco é mágico, somente tangos ao violão. No site El tango y sus invitados, barra direita ele está presente para ser baixado. Beijo, Diana. (escuto o disco, café junto, pensamentos atravessando o oceano…💐🎶☕️☮️❤️)

      Curtido por 1 pessoa

      1. Que tentadora descripción! Los mercados .. uhm .. el aroma de las especias y especies .. ¡cuantas cosas se nos pasan de largo una vez hemos caído en el viaje! Habría que viajar mínimo tres veces a un mismo lugar, repitiendo el recorrido exacto.
        Un beso también. Hoy hace viento frío, demasiado calor y el mar con su fuerza imbatible .. ¡me gustan tus pensamientos! Cuídate en este tramo del mundo invasivo. Toda precaución es poca!👈 🥰

        Curtir

      2. e do outro lado, que não havia escrito, era a antiga estação de bonde central da cidade. o prédio ainda existe, mas a ocupação é toda desordenada mas revela muito da gente que passa por ali e vem de todos os lugares próximos a Porto Alegre. qdo tudo isso passar irei lá, e deixar o tempo passar. te cuida também, querida, és uma pessoa importante. abraço imenso.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s