Ficção: Coroas de Cristo (Crowns of Christ)

Os vincos nas costas doíam. As mãos não alcançavam o dorso. Sentia crescer, entre a pele e a carne, finas camadas de coágulos. O corpo curvou-se, os ossos estalaram. Ao encontrar o chão, descobriu cultivadas Coroas de Cristo. Os espinhos avermelhados recolheram-se, deixando tesa e acinzentada a retina envelhecida. Nos dois lados da rua, as janelas fecharam-se, os vizinhos retornaram às suas tramas caseiras.

O sol é apenas sombra do Tempo.

The creases in the back hurt. The hands did not reach the back. He could feel thin layers of clots growing between skin and flesh. The body bowed, the bones creaked. Upon finding the ground, he discovered cultivated Crowns of Christ. The reddish thorns have withdrawn, leaving the aged retina stiff and grey. On both sides of the street, the windows closed, the neighbors returned to their homework.

The sun is but the shadow of Time.

Las arrugas en la espalda duelen. Las manos no llegaban a la espalda. Podía sentir finas capas de coágulos creciendo entre la piel y la carne. El cuerpo se inclinó, los huesos crujieron. Al encontrar el terreno, descubrió Coronas de Cristo cultivadas. Las espinas rojizas se han retirado, dejando la retina envejecida rígida y gris. A ambos lados de la calle, las ventanas cerradas, los vecinos volvieron a sus deberes.

El sol no es más que la sombra del Tiempo.

Foto: Chronosfer.
Publicidade

Fotografia: A casa (The house)

A vida é nossa casa. Viver a vida em casa é olhar para dentro e para fora. É saber que cada fragmento do olhar pode ser transformador. De dentro para fora, de fora para dentro. A vida é nossa casa. Nem sempre a casa é a nossa vida.


Life is our home. Living life at home is about looking inside and outside. It’s knowing that every fragment of the look can be transformative. Inside out, outside in. Life is our home. Home is not always our life.

La vida es nuestro hogar. Vivir la vida en casa es mirar hacia adentro y hacia afuera. Es saber que cada fragmento de la mirada puede ser transformador. De adentro hacia afuera, de afuera hacia adentro. La vida es nuestro hogar. El hogar no siempre es nuestra vida.

Fotos: Chronosfer.

Fotografia: Dê uma chance a paz (Give peace a chance)

Não apenas a paz das guerras, mas a paz do cotidiano, do fim das desigualdades, do racismo, pela preservação dos direitos humanos, por uma vida digna, pelo respeito às mulheres, LGBT+, pelo fim da pobreza absoluta não apenas a física mas a moral, ética, afetiva… Dê uma chance à vida. Pela paz!

Not just the peace of wars, but the peace of everyday life, the end of inequalities, racism, for the preservation of human rights, for a dignified life, for respect for women, LGBT+, for the end of absolute poverty, not only physical but also moral, ethical, affective… Give life a chance. For peace!

No solo la paz de las guerras, sino la paz de la vida cotidiana, el fin de las desigualdades, el racismo, por la preservación de los derechos humanos, por una vida digna, por el respeto a la mujer, LGBT+, por el fin de la pobreza absoluta, no solo física pero también moral, ético, afectivo... Dale una oportunidad a la vida. ¡Por la paz!

Foto: Chronosfer.

Fotografia: E se… (And if…)

E se a natureza seguisse seus ciclos, sua natureza e destino seríamos o que somos hoje como seres humanos?

And if nature followed its cycles, its nature and destiny would we be what we are today as human beings?


Y si la naturaleza siguiera sus ciclos, su naturaleza y destino, ¿seríamos lo que somos hoy como seres humanos?

Foto: Chronosfer

Fotografia: A última sessão de música (The last music session.)

Despedidas são pequenas mortes. Às vezes, definitivas. A saudade não deixa espelhos tampouco luzes. Outras vezes, o ato de despedida é uma declaração de amor. Profundo. Declaração de vida. De história. De passos dados juntos. Milton Nascimento se despediu. A vida mais uma vez se fez vida. No espelho, os olhos do tempo.


Goodbyes are little deaths. Sometimes definitive. Longing does not leave mirrors or lights. Other times, the parting act is a declaration of love. Deep. Life declaration. Of history. Of steps taken together. Milton Nascimento said goodbye. Life once again became life. In the mirror, the eyes of time.


Las despedidas son pequeñas muertes. A veces definitivo. La añoranza no deja espejos ni luces. Otras veces, el acto de despedida es una declaración de amor. Profundo. Declaración de vida. De historia. De pasos tomados juntos. Milton Nascimento se despidió. La vida volvió a ser vida. En el espejo, los ojos del tiempo.

Fotos: Chronosfer.

Fotografia: Para além dos olhos (Beyond the eyes)

Às vezes, ou sempre, a linha do horizonte está além do próprio horizonte das linhas do olhar. Quem sabe, o verdadeiro presente (tempo presente) é descobrir passo a passo seus caminhos. Nunca dividir o caminho, o outro lado é apenas o continuar.

Sometimes, or always, the horizon line is beyond the horizon of gaze lines. Who knows, the real gift (present) is discovering your paths step by step. Never spitting the way, the other side is just going on.

A veces, o siempre, la línea del horizonte está más allá del horizonte de las líneas de la mirada. Quién sabe, el verdadero regalo (presente) es ir decubriendo tus caminos paso a paso, el otro lado solo continúa.

Foto: Chronosfer.

Fotografia: O fim do dia é o começo de outro dia (The end of the day is beginning of another day)

Como ser indiferente quando a noite abraça o dia e a vida dentro do seu destino, que é viver? Os dias sempre serão noite e as noites, dias.

How to be indifferent when the night hug the day and life within it’s destiny, which is to live? The days will always be night and the nights, days.

Como ser indiferente cuando la noche abraza al día ya la vida dentro de su destino, que es viver? Los días siempre serán noche y las noches, días.

Fotografia: Chronosfer.

Fotografia: Linhas curvas (Curved lines)

é curva a linha da margem onde habita o horizonte

é curva a margem dos olhos da memória onde se debruçam as veias da vida

é curva a hora da despedida na linha do tempo que vivi


the line of the shore where the horizon dwells is curved

the edge of memory’s eyes is curved where the veins of life bend

it´s curve the time of farewell in the timeline I lived


la línea de la orilla donde mora el horizonte es curva

el borde de los ojos de la memoria es curvo donde se doblan las venas de la vida

es curva el tiempo de la despedida en la línea del tiempo que viví

Foto: Chronosfer. Ruínas Jesuíticas de São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul.