Fotografia: O azul é a cor da luz do fim do túnel (Blue is the color of the light at the end of the tunnel)

IMG_8834 (3)

Foto: Chronosfer. Fotografar em mergulho é complicado. A posição onde estava para fazer a do post insistia em dizer não fotografa. O espaço apenas permitia ter no visor o capô do automóvel, alguns reflexos vindo dele, a sujeira visível, mas o prédio se revelava como um túnel que ao fim dele surgia o infinito azul do céu. tentador demais, mesmo com as condições contrárias. Está aí a foto. Sem edição, apenas um corte lateral, e reforço de nitidez. No centro, outro erro, centralizar o objeto, o fim do “túnel”. Os olhos e as mãos tremeram. A fotografia diz muito.

Shooting in diving is tricky. The position where I was to make the post insisted on saying do not photograph. The space only allowed the car’s hood to appear on the display, some reflections coming from it, the visible dirt, but the building revealed itself as a tunnel that at the end of it appeared the infinite blue of the sky. too tempting, even with the contrary conditions. There’s the picture. No editing, just a side cut, and sharpening enhancement. In the center, another error, centering the object, the end of the “tunnel”. His eyes and hands trembled. The photograph says a lot.

Anúncios

Fotografia: Tempo abstrato (Abstract time)

Abs 1

Abs 2

Abs 3

Fotos: Chronosfer. Tempo abstrato. Mais que uma pequena expressão, é o olhar sobre a ação do tempo, como clima, como ciclo, sobre a natureza. Sobre as flores das árvores sob a luz e o calor do sol, sob as fases da lua e o seu orvalho, sob os ventos dos temporais, sob a água das chuvas, sob a umidade  e o seco dos dias. Eles voam. Tecem por elas mesmos desenhos, formas, vidas. Dão a uma cobertura transparente uma sensação de um quadro. Impressionista? Surrealista? Não, apenas o tempo abstrato diante dos nossos olhos. A realidade sendo contada pelo olhar de quem não perde o tempo, apenas descobre que ele está ao nosso lado.

Abstract time. More than a small expression, it is the look at the action of time, as climate, as cycle, about nature. On the flowers of the trees under the light and the heat of the sun, under the phases the moon and its dew, under the winds of thunderstorms, under rainwater, under the humidity and dryness of days. They fly. they weave designs, shapes, lives for themselves. They give a transparent cover a feeling of a frame. Impressionist? Surreal? No, just abstract time before our eyes. Reality being told by the look of someone who does not waste time, only discovers that he is on our side.

Fotografia: Bom Dia! (Good Morning!)

IMG_8299 (2)

IMG_8301 (2)

IMG_8302 (2)

IMG_8308 (2)

Fotos: Chronosfer. Um dos “meus gêmeos”. Dois filhotes de Sabiá-Laranjeira nasceram e fizeram morada no andar do edifício onde vivo. Todas as manhãs, ambos saem a voar pela rua e pousam na árvore que fica em frente ao meu apartamento. Cantam, se mexem, bicam os galhos, fazem a festa. Depois saem. E voltam. Olham para a janela. São momentos assim em a vida pode ser vivida em paz e harmonia.

One of my “twins”. Two chicks of Sabiá-Laranjeira were born and housed on the floor of the building where I live. Every morning, they both fly out onto the street and land on the tree in front of my apartment. They sing, they move, they twit the branches, they celebrate. Then they leave. And they come back. They look at the window. Such moments in life can be lived in peace and harmony.

Fotografia: Nuvens desenhando no céu (Clouds drawing in the sky)

IMG_8828 (2)

IMG_8829 (2)

IMG_8831 (2)

Fotos: Chronosfer. O verão se aproxima do outono e passar a ele o novo ciclo. A luz, aos poucos, vai ficando mais intensa, mais melancólica. As nuvens acompanhas, às vezes, ao final das horas do dia com cores e desenhos no céu. O dia de sol por vezes recebe as que prenunciam chuva. Formam grafismos coloridos intensos. E o imaginário sugere tantas outras imagens e desenhos. O olhar acompanha e agradece.

Summer is approaching autumn and passing it the new cycle. The light, gradually, becomes more intense, more melancholy. Clouds sometimes accompany the hours of the day with colors and designs in the sky. The sunny day sometimes gets those that foreshadow rain. They form intense colorful graphics. And the imaginary suggests so many other images and drawings. The look accompanies and thanks.

Fotografia: Desenho, grafismo e equilíbrio (Drawing, graphics and balance)

IMG_8532 (2)

IMG_8488 (2)

IMG_8487 (2)

Fotos: Chronosfer. Os olhos sempre encontram o simples. O comum. O que passamos sem muitas vezes olhar. Um desenho regado pelo luz do dia de uma janela e a fachada da casa, um telhado já manchado pelo tempo, formando um grafismo denso e o equilíbrio em pedras de uma pequena sacada. Quantas palavras querem nos dizer? O que sentem dia após dia naquelas posições. esperando pelo tempo, pelo sol, pelo orvalho da noite, pela chuva, pelas mãos que podem ser as nossas? A vida é feita de olhares. Olhar é viver. Vive quem olha.

The eyes always find the simple. The ordinary. What we go through without often looking. A drawing watered by the daylight of a window and the facade of the house, a roof already stained by time, forming a dense graphite and balance stones in a small balcony. How many words do you want to tell us? What they feel day after day in those positions. waiting for time, for the sun, for the dew of the night, for the rain, for the hands that can be ours? Life is made of looks. To look is to live. Live who looks.

Fotografia: Natureza dos reflexos (Nature of reflexes)

IMG_8739 (2)

IMG_8596 (2)

Fotos: Chronosfer. Gosto da natureza dos reflexos e até para onde nos leva o olhar. O espelho, aqui de água límpida, a primeira, e maculada, a segunda, nos oferecem possibilidades. O abstrato de um lado, o real de outro. está nos abstrato dessas imagens uma triste realidade: o que somos e fazemos. Triste porque maculada a água, maculamos a vida. Triste porque assim caminha a vida. Por nossa ação.

I like the nature of the reflections and even where the gaze takes us. The mirror, here of clear water, the first, and tainted, the second, offer us possibilities. The abstract on one side, the real on the other. is in the abstract of these images a sad reality: what we are and what we do. Sad because we stoned the water, we sullied life. Sad because that is how life goes. By our action.

Fotografia: Bom Dia e feliz café da manhã (Good morning and happy breakfast)

IMG_8785 (2)

IMG_8787 (2)

IMG_8786 (2)

IMG_8788 (2)

Fotos: Chronosfer. Pousada Jardim Secreto, Gramado. A natureza e os pássaros em sua espontânea forma de ser são vidas que nos dizem a todo instante: olhem como viver é simples e em paz e harmonia. Juntem-se a nós! Às vezes, tenho o sentimento de que a hora passou.

Pousada Jardim Secreto, Gramado. Nature and birds in their spontaneous way of being are lives that tell us every moment: look with living is simple and in peace and harmony. Join us! Sometimes I have the feeling that the time has passed.

Fotografia: O espelho real faz o olhar ser abstrato (The real mirror makes the look be abstract)

Delf

Foto: Chronosfer. O olhar sobre o espelho que forma o vidro da janela do café em Delft, Holanda, se transformou. Do lado de fora, a vida seguia seu curso real do tempo. Dia frio, sol tímido, poucos raios aquecendo o sentimento da pele. Então, do lado de dentro, a vida parecia ser um quadro. Uma obra pincelada com luz e sombra, cortes aqui e ali. E a imagem, abstrata, passou a ser outra. A mesma vida, o mesmo tempo, o mesmo momento, e um universo de outras vidas, de outros tempos e de outros momentos. Os meus olhos então repousaram na luminária e sonharam.

The look on the mirror that forms the window glass of the cafe in Delft, Holland, has transformed. Outside, life went through its real course of time. Cold day, sun shy, few rays warming the feeling of the skin. Then, from the inside, life seemed to be a picture. A brushwork with light and shadow, cuts here and there. And the image, abstract, became another. The same life, the same time, the same moment, and a universe of other lives, of other times and other moments. Then my eyes rested on the lamp and they dreamed.

Fotografia: Grafismos da Natureza (Nature Graphics)

IMG_2567 (3)

IMG_2150 (3)

IMG_2564 (2)

Fotos: Chronosfer. A Natureza sempre nos surpreende. Surpreende porque não a olhamos como companheira. Nos dis feios, nublados, cinza, onde a chuva, o temporal são prenúncios, os galhos secos ganham desenhos e formas únicas. O contraste, mesmo em cores, é um b&w maravilhoso. Os olhos descansam e agradecem.

Nature always surprises us. It surprises us because we do not look at her as a companion. In the dim, cloudy, gray, where the rain, the storm is foreshadowing, the dry branches gain unique designs and shapes. The contrast, even in color, is a wonderful b & w. The eyes rest and thank.

Fotografia: A natureza do tempo (The nature of time)

IMG_2621 (2)

DSC00108 (2)

IMG_2902 (2)

Fotos: Chronosfer. A natureza tem o seu tempo. O tempo da natureza nem sempre é o nosso tempo. Ela anuncia as transições da vida. As estações em mutação. As cores perdendo seu brilho para o descanso e depois, em seu tempo, retornarem. A natureza mostra o caminho. O tempo segue  sua orientação. E quanto a nós, nem o tempo sabe o faremos. Um dia quem sabe estaremos todos no mesmo tempo.

Nature has its time. The time of nature is not always our time. It announces the transitions of life. The changing seasons. The colors losing their brightness to the rest and then, in their time, return. Nature shows the way. Time follows its orientation. And as for us, not even time knows we will. One day we may all be together at the same time.