Fotografia: Nas ruas, a vida e olhar se encontram (On the streets, life and the look meet)

Viver a rua é viver a vida em toda a sua plenitude. O olhar se estende pelos prédios e luminárias ou se detém nos detalhes de cada um. Neles e em quem olha, uma nova perspectiva e quem sabe um novo caminho. Viver a rua é viver a vida.

To live the street is to live life in all its fullness. The gaze extends through the buildings and luminaires or stops at the details of each one. In them and in those who look, a new perspective and who knows a new path. To live the street is to live life.

Vivir la calle es vivir la vida en toda su plenitud. La mirada se extiende a través de los edificios y luminarias o se detiene en los detalles de cada uno. En ellos y en los que miran, una nueva perspectiva y quién conoce un nuevo camino. Vivir la calle es vivir la vida.

Fotos: Chronosfer. Praga.

42 comentários em “Fotografia: Nas ruas, a vida e olhar se encontram (On the streets, life and the look meet)

    1. oi, Léo, então vou me juntar a ti na saudade das ruas. que maravilha é (não vou aceitar como passado) caminhar pelas ruas, entre as gentes, os prédios, o comércio na rua, o estático, se deparar com um museu, um cinema…uma cafeteria, sentar, o café, as pessoas falando, caminhando….vida! um grande abraço!!!

      Curtido por 2 pessoas

  1. Bom dia amigo…sim sim adoro olhar as ruas suas construções mais antigas…e fico analisando cada detalhe…como o tempo passou para cada espaço…imagino como seria elas as ruas e tudo em sua volta em tempos mais antigos..suas historias.
    Fica c Deus amigo..abraço

    Curtido por 1 pessoa

    1. oi, Renata, bom dia. é verdade, e confesso que me arrependo de não ter feito curso específico sobre o patrimônio arquitetônico. tenho paixão por prédios antigos. e meu acervo acho que tem pelo menos uns 50% de fotos somente de prédios. seguimos com suas histórias. abraço e fique também com Deus.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Calles de agua

    Les llaman ríos,
    suelen hacer diques
    en sus lados fuertes.
    Sólo circulan
    hacia el mar
    con murmullos
    de espejos.

    Habitan sus calles
    edificios desde el aire
    en tonos elegido
    por nuestro amigo
    señor de imágenes.

    De observadores
    moderados están
    los pacientes árboles,
    antiguos benefactores
    de sombras y cantos.

    Saltan luces
    dando vida
    al murmullo
    de las calles de agua.
    Una conversación
    descansa en las veredas,
    peces negros de noche,
    hermosos,
    transparentes
    de día.

    Hay algo triste
    sin enumerar,
    algo final y
    pendiente a la vez,
    llámese recuerdo
    llámese olvido.

    Curtido por 2 pessoas

  3. Lindo!
    Não vejo a hora de poder sair pelas ruas novamente.
    Sempre gostei muito de andar pela cidade e tenho sentido muita falta disso. Nessa brincadeira de mau gosto, já faz quatro meses que nossas rotinas mudaram bruscamente.
    Acho que a esperança do que está por vir que nos mantém firmes.
    Grande abraço, Fernando 🌸
    Cuide-se 💞

    Curtido por 2 pessoas

    1. somos dois, então, Gabriela. adoro as ruas, sentir suas gentes, os prédios, as calçadas, sinto falta até de tropeçar nelas….de parar, entrar em uma cafeteria, o café, olhar o movimento…agora, querida, temos que nos cuidar e mais um pouco de paciência para a vida retomar o seu curso. fique bem, por favor. o meu abraço, e maravilhoso fim de semana pra ti. 💖🌹

      Curtido por 2 pessoas

      1. Ah os cafés ♡
        Se bem que não posso reclamar, pois estou em casa e o café que meu pai faz é sensacional rs
        Muita paciência e saúde para nós 🙏🏻💞
        Obrigada e ótimo fim de semana para ti também! 😉

        Curtido por 1 pessoa

    1. tempos em que a vida parece ser como a água escorregando entre os nossos dedos das mãos…olho as pessoas da janela, Estevam, e os vejo desafiando o que há de pior hoje para a sobrevivência do dia…a máscara cai todos os dias de quem a usa apenas por obrigação e não resiste muito tempo. o que me assusta é que gostam disso, pagam com o risco da própria vida por esse momento. passarão…todos eles…

      Curtido por 1 pessoa

      1. oi, Estevam, agradeço muito o convite, mas não da linha de frente, gosto de ficar trabalhando nos bastidores. e além do mais, nem de perto sou poeta como vocês. contudo, me avisa qdo acontecer, quero assistir. grande abraço. (obs. a turma é da pesada, será uma bela live!)

        Curtir

    1. às vezes, acerto com uma boa frase. Nuno. as fotos de Praga, em especial dessa longa avenida à beira do rio, me instigaram pelo conjunto harmonioso, pelas formas, e por serem testemunhas de um período histórico da então cortina de ferro. um lugar maravilhoso. um grande abraço, meu amigo.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Muito bom! Acho que acerta sempre com as palavras nos seus posts. 😃
        Não me recordo dessa avenida, se calhar não passei por lá. Praga é uma cidade onde pretendo voltar para explorar 😃
        PS: Sai mais daqui a pouco um artigo com fotografias do dia de ontem por aqui. Fique atento.

        Grande abraço 😃

        Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s